Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Melhor é amar sem dar pelo tempo passar




As folhas do calendário
são o nosso fadário

Registam os dias
os meses e os anos
as alegrias
os enganos
o sofrimento

Os relógios contam as horas
as demoras
da felicidade a chegar

Não há tempo a perder
melhor é esquecer
parar de sofrer
e amar
sem dar  pelo tempo
passar

(FELIZ 2013)


^^^^

domingo, 30 de dezembro de 2012

A minha ambição maior




A minha ambição maior
é expressar
este poema permanente
que trago no coração
desde sempre

Ousar
não morrer
sem antes alcançar
a iluminação

Fora da disputa
demente
da política e do poder
da história e da glória
da própria religião
se necessário for

Com prioridade absoluta
Para a verdade
e o amor

^^^^

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Quando a Língua floresce em palavras




Quando a Língua floresce em palavras
dá  frutos que são poemas

Muitas vezes envoltos em mil dilemas
em desejos que assomam à flor da pele
em suores frios de angústias e medos
que enquistam em penedos
obscenos
na Razão
e se transformam em instrumentos
de opressão

Mas eu quero que a minha poesia
seja libertária
de libertação

Que seja poesia de amor e de alegria
que floresça na serra como a urze
e o rosmaninho
que perfumam o caminho
e defendem os solos da erosão

Que enfeite os campos como a candelária
e rasgue com luz
a escuridão

***

domingo, 23 de dezembro de 2012

A vida é o que é




A vida nem sempre é assim tão triste

Tem momentos de grande
e de pequena tristeza
horas de desmedida alegria
dias em que amamos
e rimos
outros em que choramos
e ainda outros em que…
ia a dizer odiamos…
…mas que palavra obscena!

E também há momentos em que a vida
é bem mais amena

A nossa vida é o que é!

Ora triste
ora alegre
mais ou menos
assim, assim

Como o tempo
que ora faz sol
ora chove
ou troveja

Mas a nossa vida é sobretudo breve
muito breve

Por isso a felicidade será
aquilo que quisermos que seja
desde que mais dure
na sua finitude

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Cinza de recordação



Olho a lareira acesa
de coração ao fogo exposto
as labaredas lambem-me o rosto
com seu morno calor

As raízes que ardem
e me aquecem sem me queimar
são lembranças de amantes
que me enlaçam
inebriantes
e uma após outra me vêem beijar

São labaredas de lembranças
quimeras de amor
que aparecem
aquecem
e logo se esquecem

Estendo-lhes a mão
ainda assim
sem dilema
para as acariciar

E guardo para mim
o poema
a cinza da recordação

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A minha proposta de Amor é amar




Igual a amar
só é
ser-se amado

Mas mais importante do que olhar
é ver

do que escutar
é ouvir

do que tactear
é sentir

do que saber
é entender

do que ter prazer
é ser feliz

E de amar não se desiste
ainda que o amor
nos possa levar à dor
à abstenção de tudo
e de toda a paixão

Porque
mais importante que a vida
é a Iluminação
a minha proposta de Amor
é amar

^^

domingo, 16 de dezembro de 2012

Instantes que se distendem em Eternidade

imagesCAOCSF66

Surge leve

graciosa

como uma rosa

que breve acaba de despertar

 

Traz os pulmões perfumados

da doce fragrância da tília

agora florida em flor doirada

e o hálito fresco

mentolado de madrugada

 

Sorri-me

alegre e sensual como a romã

que ao sol se abre pela manhã

 

Não resisto à tentação de a beijar

mesmo à frente de toda a gente

 

Envolve-nos o etéreo halo do amor

é o seu perfume que inalo

como se fora uma flor de verdade

 

O meu cérebro reage

ao teu encanto corporal

e a alma não fica indiferente

a tanta beleza e suavidade

 

Logo ao primeiro beijo

ao terno abraço do desejo

alcançamos a espiritualidade

 

O equilíbrio natural

em que os corpos se prologam pelo espírito

e os instantes se distendem

em Eternidade

 

^^

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Ouço as suas mãos a bater no teclado

images

Se forçoso continua a ser

a vida nos separar

suposto seria não sofrer

e nem sentir saudade

tantos são os meios de comunicar

de distrair

quiçá

olvidar

 

Ouço suas mãos a bater no teclado

apressadas

do outro lado do mar

e fico quedo

calado

com as minhas paralisadas

por não as poder a delas acariciar

 

Ouço a sua voz com efeito estereofónico

e fico afónico

de saudade

 

Vejo a sua imagem

com resolução ímpar

e agrava-se a saudade

por não a poder tocar

 

Respiro fundo

não sinto o seu perfume

arde em mim o lume

da saudade

 

Desejo o seu abraço

noto que o espaço da separação

continua a ter a mesma dimensão

 

^^

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Um poema que não seja só poesia

imagesCAQ21AHG

Sou um poeta menor

por fora

mas imenso por dentro

 

Tanto que confesso ao vento

ambicionar escrever um poema

de um só verso que seja

mas no qual se reveja

com verdade

toda a Humanidade

 

Um poema para cada ser

individual

que vá directo ao seu endereço postal

 

E que seja lido

e sentido

independentemente da sua condição

cor

religião

ou partido

 

Um poema que dê ânimo

magnânimo

que não seja só poesia

que lance esperança e alegria

que mate a fome

vença a solidão

e sare a dor

 

Um poema com uma palavra

pequena

que muito me apraz

a palavra PAZ!

 

E com outra um pouco maior

de tamanho

mas infinita de valor

a palavra AMOR

 

^^

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Que outro ar? Que outra água?

imagesCAVJE4LG

Poluímos o ar

e a água

 

Corrompemos a verdade

viciamos o amor

 

Impomos a mentira

a dor

a fome

o ódio

o vício e a guerra

destruímos a Terra

 

Estamos à beira de nós autodestruir

 

Que outro ar

poderemos nós inventar

para respirar?

 

Que outra água

poderemos nós conceber

para beber?

 

Que outro sangue

poderemos nós gerar

para nos alimentar?

 

Que outra Verdade

poderemos nós estabelecer

para nos governar?

 

Que outro amor

poderemos nós idealizar

para amar?

 

Que outra Terra

poderemos nós encontrar

para viver?

 

Apenas nos resta redescobrir

a limpidez da água

a leveza do ar

a força da verdade

a pureza do amor

a beleza da Terra

para sobreviver

 

Fundar uma nova Civilização

de Paz e Amor

em nosso coração

 

^^

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O sentido maior da vida é a alegria

imagesCAXSRMKT

Sinto que toda a dor me é exterior

e que a alegria me é interior

 

Por isso procuro uma alegria maior

que todas as pequenas alegrias

do dia-a-dia

 

Uma alegria sem igual

a alegria espiritual

 

Que definitivamente me ilumine a mente

me alegre o coração

e me anime o corpo

 

Uma alegria que sopre um sopro de felicidade

um vento forte de verdade

sobre o mundo em redor

 

Sinto que o sentido maior da vida

é a alegria

 

Não o prazer

o sofrer

a sorte

a morte

ou a louca idolatria

 

^^

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Mataram o Marão

images

A bem da Nação

mataram o Marão

 

Já lhe haviam retalhado a pele

furam-lhe agora o coração

 

Oh que futuro cruel!

Para lá do Marão

já demandam os que lá estão

 

Trás-os-Montes já não é o que era

uma nova era se espera

 

Melhor será?

Quiçá?

 

A bem da Nação

mataram o Marão

sem compaixão

morte que o progresso outorga

 

Teme e treme a Natureza

o Reino Maravilhoso de Torga

em seu esplendor e beleza

freme a pátria de Pascoais

o Douro de Garret e Junqueiro

acama

 

Enublam-se os luares de Janeiro

os amores de Trindade

entristecem

as almas esmorecem

o culto da verdade

perde a chama

 

Fenecem Terra Quente e Montanha

oh que saudade

que revolta tamanha!

 

A bem da Nação

mataram o Marão

 

A sua lenda não matarão

não!

Jamais!

 

^^

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ser poeta, a meu ver

imagesCALB4QKP

Ser poeta, a meu ver

não é ser maior

ou menor

que ninguém

nem ter poder

sobre alguém

 

Ser poeta

é sentir as agruras da vida

mesmo sem as viver

 

É amar

é sofrer

é tudo fazer com poesia

é cantar com alegria

mesmo se canta a chorar

 

Ser poeta

é morar no Universo

ser mais ágil que o vento

e mais forte que o tempo

 

Ser poeta

é ter o amor por emblema

e a verdade como lema

gravados a luz

no verso

e a fogo

no poema

 

^^

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Com uma mulher como tu, Belkis

untitled

Com uma mulher como tu

Belkis

apenas tenho jeito

e sei

falar de amor

 

Mesmo se para converter

em prazer e alegria

a dor

que trago no peito

 

Com uma mulher como tu

Belkis

mais real e doce

se torna a fantasia

 

Apenas com uma mulher como tu

Belkis

tem sentido a poesia

 

^^

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Refugio-me no infinito

imagesCA9GJGVD

Levantavam-se brisas

mansinhas

de enamoramento

quando o sol se punha no horizonte

bem defronte do nosso olhar

 

Sopros de pensamento

que despetalavam as flores

e tudo perfumavam

em redor

 

Sopros de amor

ao sol por

que nos desnudavam as almas

e acalentavam calmas paixões

em nossos corações

 

Sopros de desejos

contidos

irradiados dos olhos

exsudados das mãos

dadas

e dos lábios floridos

em beijos

 

Hoje

só vejo fragas, giestas, abrolhos

seja a que hora for

 

e sem ti

no mesmo sítio

desde o nascer ao sol por

refugio-me no infinito

 

^^

domingo, 2 de dezembro de 2012

O equívoco da felicidade

images

Vista do lado de fora

a felicidade

chama-se alegria

 

Por dentro é contentamento

 

Pode ver-se num olhar

num sorriso

numa imperceptível expressão facial

num abraço

num aperto de mão

no bater do coração

 

Até numa lágrima

num embaraço

ou noticiada nalgum jornal

também

 

Muitos a procuram

hoje em dia

porém

nos bares

nos estádios

no sossego dos lares

na religiosidade de um templo

ou até na aspereza da Natureza

 

Poderá andar por aí, sim

mas não é aí que a felicidade

se encontra, na verdade

 

É dentro de nós que a devemos procurar

e só nós a poderemos despertar

 

^^

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Silêncio de amoroso comprometimento

images

Dava para ouvir o vento

e o mar

os corações a bater

em silêncio de amoroso comprometimento

 

Eram o vento

o mar

os corações já abraçados

a dizer

«amar, amar, amar…»

 

E nós embaraçados

a sussurrar

baixinho

tão baixinho

que se ouviam os olhos

a gritar:

«Amooo-te»

 

Mas nós não sabíamos quem

quando

e como

começar

 

Como desatar

aquele doce silêncio de amoroso comprometimento

 

^^

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Dou tempo ao tempo

images

Apercebo-me de um mais débil pulsar

de badalas langorosas de cansaço

corro a dar corda aos meus relógios

para assim os espevitar

não vão eles parar

e com eles parar o tempo

 

Iludo-me…

 

Pensando que o tempo sou eu que faço

mas o tempo não tem origem em mim

apenas o mais puro sentimento

vem de dentro

 

Ainda assim...

 

Como os maquinismos mecânicos

prolongam as horas e os dias

dos mecanismos do tempo

em badaladas mais sonoras

e prolongadas

 

Também…

 

Os beijos e os mimos

animam o bater dos corações

e reanimam

com seu calor

as maquinações da relojoaria do amor

e dão tempo

ao tempo

 

Mas o tempo…

 

Sempre está a acontecer

esgota-se por si só

e com dor

sem piedade

nem dó

e tudo acaba por morrer

 

A menos que a mecânica celeste

com suas engrenagens cor-de-rosa

nos conduza a viagem

mais esperançosa

 

^^

domingo, 25 de novembro de 2012

E a paixão também poderá ser…

images

E a paixão também poderá ser

uma momentânea loucura

que nos toma por dentro

nos destabiliza por fora

e em pouco tempo

deita tudo a perder

 

Um já sofrer

antes mesmo de que nada nos faça doer

embora já sabendo que tal

nos irá acontecer

 

A origem de uma vertigem

que nos leva a nos precipitar

no fogo que nos irá queimar

 

A euforia de uma alegria

sem igual

que nos embriaga

mas que não entendemos

e que acaba por nos abrir uma chaga

no coração

de que só nos apercebemos

quando já não tem reparação

 

E a paixão também poderá ser…

só um querer sofrer

 

^^

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

É pecado emigrar

imagesCA1QEZLB

É pecado emigrar

abandonar

a nossaTerra Mãe

 

Deitar ao abandono

seus campos, ares e mares

dar a pátria a má lei

e a grei a mau dono

 

Entregá-la ao desdém

de quem

arma a polícia

com estultícia

e dá pedras ao vilão

por omissão

 

É pecado emigrar

abandonar a nossaTerra Mãe

 

Sem saber

quanto se irá sofrer

de saudade

em terras estranhas

 

Só a nossa Terra Mãe

gera em suas entranhas

o pão

o mel e o azeite

o leite e o luar

capaz de nos alimentar

com o mor deleite

do seu amor

 

Só a nossa Terra Mãe

guarda no seu seio

o justo anseio

do nosso coração

 

Terra Mãe que precisa de novo

da força do seu povo

para os campos semear

e a liberdade defender

 

E à juventude

povo impoluto

cabe a virtude de se erguer

e se revoltar

contra o regime corrupto

 

É forçoso ficar

não fugir

resistir

salvar o devir

 

^^

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Uma amargura da largura da Terra

imagesCA9ROGF5

O meu estado de espírito dominante

mais do que uma angústia insana

é uma amargura amarga

angustiante

violeta

do tamanho do Planeta

 

Ante a pobreza

a violência

a injustiça terrível

que grassam sobre a Terra

e a ferocidade com que o homem maltrata a Natureza

 

Ante a minha impotência

para algo fazer de visível

Não me sinto suficientemente mau

para neste mundo triunfar

nem bom bastante para me auto imolar

e sorrir

 

Por isso me refugio

me escondo

no mais profundo do meu ser

por não saber

para onde ir

 

Já não há selva

deserto ou montanha

bairro clandestino

artimanha ou destino

longe ou perto

aonde me possa esconder

 

E assim viajo sem tino

para o local mais distante do Cosmos

que me é possível imaginar

 

Embora saiba que nem mesmo aí

me poderei salvar

^^

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Escrever no escuro

untitled

Penso e escrevo

no escuro

 

De mente iluminada

de nada

e sem olhos para ver

 

Como se de olhos fechados

em folha de papel em branco

 

Apenas vejo gatafunhos

que me angustia decifrar

 

Por isso

nem sempre

nem eu

nem ninguém

sabemos ler

o que queremos dizer

 

^^

terça-feira, 20 de novembro de 2012

São só poemas

imagesCAROXHNR

Não são

sequer

murmúrios

 

São pensamentos soltos

palavras silenciadas

atiradas aos ventos

 

Palavras que poderão passar

de mão em mão

e dar volta à Terra

 

Pombas de paz

borboletas de ilusão

quiçá falcões de guerra

ou de outra obscena miséria

 

São flores

antúrios perfumados

arrulhos enamorados

 

São palavras perfumadas

trabalhadas

com dores

amores

e dilemas

 

São só poemas

 

^^^^

sábado, 17 de novembro de 2012

Sonhar é viver

imagesCAMVNJMP

Sonho quando durmo

adormecido de amor

sonho acordado

despertado de saudade

 

Sonho quando voo

numa anelada realidade

diferente da que a vida me consente

 

Sonho se sou feliz

sem adormecer

por não acreditar

que tal me está a acontecer

 

Sonho sem querer

e sem ensejo

sonhos súcubos e íncubos

Sonho se adormeço com desejo

e acordo com ansiedade

 

Sonho

mil ideias em atropelo

se a vida é pesadelo

porque sonhar é viver

 

^^

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A paixão é assim

imagesCAGWRS8W

A paixão é assim

 

Começa por um mero odor

um simples olhar

uma breve fala

por nada que a valha

 

Acaba por tudo querer

em tudo querer ser a maior

mesmo o maior amor

 

Mas por dá cá aquela palha

à mais pequena falha

ao mais leve incidente

tudo deita a perder

 

Paixão é assim

simplesmente

 

^^^^^^

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Mais fácil ainda é amar

images

Sonhar

é acreditar

seja lá no que for

 

E afinal é tão fácil sonhar

e sem dor

 

Basta olhar distante

perder a noção do tempo

e deixar-mo-nos levar

num instante

 

Como fácil é voar

 

Basta subir

a um ponto alto

abrir a asas

e deixarmo-nos cair

sem sobressalto

 

Como fácil é navegar

 

Basta entrar na corrente

e deixar-mo-nos ir

ao sabor do vento

 

Mas mais fácil ainda é amar

 

Basta sorrir

a esmo

que o amor se basta

a si mesmo

 

^^^^^^

domingo, 11 de novembro de 2012

O vinho do Paraíso

imagesCASH5CMO

Deu Deus, a Adão, para, por bem, o alegrar

Eva, a primeira mulher, ser fascinante

E também vinho do Éden, inebriante

Que acabariam por Adão condenar

 

Adão, por Eva se deixou apaixonar

Caindo na frágil condição de amante

E ainda no Éden, já de Deus distante

Usou o vinho para se embriagar

 

Por isso, vida de homem é provação

E o vinho e a mulher bons agasalhos

Que, se bem-amados, levam à salvação

 

Vinho com moderação, fora dos trabalhos

A mulher sempre presente e com paixão

Seja o homem criança ou já grisalho

 

^^^^^^

sábado, 10 de novembro de 2012

Angústias outonais

images

Nestes dias anormais

divirto-me a esgaravatar raízes de poemas

no húmus humedecido

pelas primeiras chuvas outonais

 

Agora que a Natureza de novo sorri

verdejante e florida

iludida

travestida de Primavera

quando o longo e frio Inverno

já a espera

 

Apenas desenterro dilemas

angústias e ansiedade

que exponho ao vento e à chuva

ao sol morno de Outono

 

Angústias sem razão de ser

dilemas de verdades

ansiedade sem casualidade

 

Mas nem o sol as seca

nem a chuva as dilui

nem o vento as leva para longe

 

As aves passam indiferentes

em seus voos sorrateiros

no céu azul

maculado de nuvens

 

Procuram sementes nos terreiros

e não poemas

dementes

 

Um ou outro cão ladra

porque o frémito da minha melancolia

lhe fere os tímpanos

e lhes causa frenesia

 

Ponho-me então a sonhar

para lá da morte

 

Sonhos que arrastam consigo todos os meus afectos

para espaços mais amplos e abertos

mas nem assim a angústia se dilui

e mais se concentra

 

Comprovadamente já não fui

que era suposto ser

 

Resta-me a esperança

de que serei

mais do que tudo que sonhei

 

^^^^^^

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Um acaso de amor em Katmandu

images

Encontrámo-nos por curioso acaso

quando observávamos em simultâneo

e religioso silêncio

as esculturas eróticas do templo Jagannath

bem no coração da mítica Katmandu

 

Fitámo-nos com fugaz e instintiva malícia

mas ela afastou-se num ápice

rodeada pela colorida e vaporosa comitiva

mal se deu conta da matéria herética

dos meus impensados pensamentos

 

Andávamos por ali em busca de espiritualidade

levados nas asas da mais pura fantasia

mas acabaríamos em mútuo despertar

nu e cru

nos deleites de uma nova virtude

por força do viço da juventude

e dos encantos do verdejante vale de Katmandu

 

Indira era uma linda, tímida e sanguínea viúva

semi-virgem de um machucho lambão

que mal tivera tempo de a lambuzar

muito menos de lhe tocar o coração

 

Eu vivia a ventura da livre aventura

cultivava a mais sã inocência

cruzava oceanos e continentes de continência

e abstenção

na ideia de que assim seria mais livre

forte e feliz e são

 

Indira não despertara ainda para a vida

e trazia um cosmos caótico dentro de si

 

Era uma mágica poção de virtude e paixão

envolvida por véu diáfano de santidade

e aspergida de inebriante perfume de sensualidade

 

Por dentro e por fora era a um só tempo

doce templo de artifício e religião

fascinante fogo de amor e tentação

 

Tornámos a encontrar-nos nesse mesmo dia

por curioso acaso

no átrio do hotel em que nos hospedáramos

na edénica cidade-lago de Pokhara

bem no coração do mítico vale de Katmandu

 

Bastaria agora o meu sorriso discreto e sedutor

em resposta ao seu olhar doce, tímido e tentador

carregado de indizível e oriental fascínio

para me franquear as portas da sua suíte de sonho

que em segredo se abriam amplas de luxúria

sobre as águas plácidas do lago Phewa

iluminadas pelo irreal albedo da neve e do luar

que igualmente doiravam

o seu triste e solitário degredo

 

Com um sorriso de universal feminina sedução

convidou-me a penetrar no seu reduto mais íntimo

discreta e delicada como se me levasse pela mão

 

Aventurei-me inflamado de desejo

inebriado de amor e despido de adrenalina

com a libido em calada combustão

confiante nos desígnios daquela fêmea divina

certo de que seria aquela a noite mais prazerosa

de todos os contos cor-de-rosa

que nem mesmo Sherezade ousara tanta magia

tão deleitosa veracidade e fantasia

 

Permanecemos durante longo tempo

em mútuo e sereno jogo de prazer

nus e melados

deliciados

no fascinante desconhecimento

que cada um tinha do outro

e nem os meus beijos mais apaixonados

nem as minhas carícias mais meigas

pareciam fazê-la rir de prazer como eu pretendia

e abrir-se em toda a sua pureza e verdade

mais parecia mergulhada num etéreo manto

de poética e distante frialdade

 

Apenas quando o meus dedos delicados

ousaram titilar o seu mimoso e melífico clítoris

explodiu então Indira lasciva e langorosa

que nem uma feroz fêmea loba faminta

descida do mais profundo e recôndito fojo

da mais cerrada floresta dos Himalaias

e se pôs a lutar para se dar por vencida

a gritar desmedia que era minha

que eu a poderia possuir e ousar tudo fazer

que a tudo se prestaria e a mais lhe apetecia

 

Quando por fim saciados

e ainda apaixonados por nós

e pelo ambiente de paz e deleite que nos envolvia

eu concluí para dentro de mim

sem nada lhe dizer todavia

que a não amava

 

Por certo

ela pensou o mesmo dentro de si

sem nada me dizer

porque mil vezes me agradeceu

solícita e esmerada

a sublime loucura que lhe propiciara

 

Talvez também porque inexoravelmente

cada um teria que regressar ao seu próprio mundo

de diferentes e afastados continentes

 

E porque aquele sublime acto de amor e sexo

fora imprevisto e não poderia acontecer novamente

já que a nossa vida em comum era imprevisível

e não teria qualquer nexo

 

Passadas que são décadas de doce esquecimento

recordo agora aquele sublime congresso

e concluo que afinal a amei e a amo ainda

também porque a sei agora mulher feliz

e de planetário público sucesso

sublimado produto por certo

da sua erotomania juvenil

 

Agora que coloco este poema memória na Web

e que nada lhe devo e ela nada me deve

talvez Indira acabe, sem querer, por lê-lo

sozinha no seu íntimo silêncio

 

E talvez de novo se acenda

nos seus olhos verde-esmeralda

o brilho carente de feroz fêmea loba dos Himalaias

num ápice semicerrados para o efeito

 

E talvez

como eu

acabe por guardá-lo no seu mais íntimo jardim

e segrede para si mesma

que afinal também ela ainda me ama como me amava

embora nada saiba de mim

 

^^^^^^

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Sonhos suspensos

images

Folhas dependuradas nos ramos das árvores

que se libertam pelo Outono

se a brisa

ou o vento

chegam a tempo

de os empurrar para longe dali

levando-os a perderem-se na estratosfera

fugindo a ser húmus

 

Sonhos do espírito

a que o corpo não responde

em seu sono

 

Pesadelos de acordar

na cama da amante que nos abraça

com as pernas e as coxas

pelos quadris

mas nada nos diz

 

Sonhos que sonhamos

mas nada acontece

e que melhor será

nem sonhar

 

^^^^^^

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Só ama quem tem a alma acesa de amor

images

Um penedo

surdo e mudo

que seja

perdido no seio da floresta

ou no descampado do monte

é amado pelo poeta

que ali sentado

se perde no horizonte

 

Votado a amar os seres

e as coisas

a quem ilumina

com a luz da poesia

e lhe recolhe o reflexo

 

Mas só ama

quem tem a alma acesa

de amor

capaz de lhe iluminar

o coração

 

Como o Sol

que durante a noite alumia

a Lua

cuja luz reflecte

em luar

 

^^^^^^

domingo, 4 de novembro de 2012

A fulgência de Deus

imagesCA6RLHGE

Quando, num só tempo, sofremos e amamos

E o coração nos dói do mais puro amor

Ou ainda mais amamos a quem está com dor

E a essa mesma dor também nos entregamos

 

Ou quando de quem amamos nos separamos

E mergulhamos na tristeza e no torpor

Ou quem bem nos ama nos recebe com calor

Se de um longo afastamento regressamos

 

Ou se a morte, a mais cruel realidade

Nos obriga a um definitivo adeus

A alguém a quem muito amamos de verdade

 

E ainda assim damos louvores aos céus

Será quando com a maior claridade

Em nós se faz sentir a fulgência de Deus

 

^^^^^^

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Quando a hora da minha morte chegar

images

Quando a hora da minha morte chegar

se é que algum dia eu vou morrer

 

Quando o sangue se me esfriar nas veias

mais vivas e ardentes se revelarão as ideias

 

Entregarei o corpo com o coração na mão

à Mãe-Natureza para reciclar

que dele melhor fará

o que bem lhe apetecer

 

Serei húmus, seiva, sangue

vinho

aroma de pinho

erva aromática

papel de gramática

grão de jade

 

Ou só

 

Quem sabe?!

 

Por mim

ainda assim

gostaria de me transformar em pinheiro

viçoso

frondoso

altaneiro

novo ser no seio do novo pinhal

que plantei com as minhas próprias mãos

ao sol do sonho

e sem sombra de mal

 

Mãos e braços que se converterão

em ramos

e os pés em raízes

arreigadas bem fundo nas entranhas da terra

já preparada

à minha espera

saradas as cicatrizes

 

E o suor que transpirei agarrado à enxada

será a resina perfumada

que purificará o ar

e dará nova cor e vigor

a novos pulmões

e a outros corações

que pulsarão do mesmo Amor

 

Mais vivas e ardentes se revelarão

então

as ideias

 

Elas serão o germe de novos sonhos

as sementes de novas poesias

de mais lúcidos dias

de mais clara Verdade

as palavras-chave da eterna Eternidade

 

Quando a hora da minha morte chegar

se é que algum dia eu vou morrer…

 

Quem sabe?!

 

Melhor será esperar

para ver

 

^^^^^^

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Uma secreta fantasia

imagesCAUS8WOD

Se fosse apenas eu a ler

a poesia que escrevo

ela não passaria de uma secreta fantasia

de uma mania como outra qualquer

 

Ainda que sempre valha a pena escrever

mesmo quando nem eu próprio compreendo

aquilo que escrevo

e não saiba bem o que quero dizer

 

Mas eu quero que a minha poesia

viva e tenha mais alegria

e que quem a lê-la se abrir

me ajude a descobrir

aquilo que eu quero dizer

 

Só por isso sempre a dou a ler

 

^^^^^^

domingo, 28 de outubro de 2012

Breves reflexões sobre a vida

imagesCA5SASGU

A vida é tudo o que somos

e o que não somos

 

O que temos

e o que não temos

 

O que amamos

e o que sofremos

 

O que nos afecta

e o que nos desperta

 

O que nos faz viver

e o que nos leva a morrer

 

É o adeus ao passado

a despedida do presente

a chegada do futuro

 

É cosmos que se revela

a divindade que se esconde

o mal e é o bem

 

É a incerteza do viver

a certeza de morrer

a dúvida do Além

 

^^^^^^

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O espelho da alma

imagesCAS41GRW

Percorro montes e vales

campos e cidades

à procura de um espelho

em que me possa ver

 

Encontro lagos

maciços gelados

edifícios espelhados

vidros de cristal

 

Apenas vejo imagens

miragens de mim

mil meias verdades

sombras do meu ser

 

Só posso ver o meu rosto

num espelho que o reflicta

à luz do dia

que o escuro repele

 

Só poderei ver o meu espírito

no espelho de Deus

que o revele

à luz do amor

que o concita

 

^^^^^^

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Quando o coração arde de amor sem se consumir

images

Quando o coração arde de amor

sem se consumir

e aquece

sem queimar

e ilumina

sem ofuscar

 

Então…

 

A mente dispensa a matemática

para bem entender

a poesia não precisa de gramática

nem de rimar

os olhos não carecem de luz

para ver

à boca não falta o pão

para comer

e matar a fome

a paz não precisa de guerra

para se afirmar

e ninguém tem que matar

para sobreviver

 

Quando o coração arde de amor

e se não consome

jamais a paixão será ilusão

e nada na vida

é para esquecer

 

^^^^^^

domingo, 21 de outubro de 2012

Só a tua presença me fará esquecer de ti

images

Agora que partiste

e me deixaste afogado em saudade

 

Agora que não te tenho ao pé de mim

de verdade

tudo me fala de ti

e não deixa que eu te esqueça

 

Cada flor que sorri

cada ave que chilreia

cada criança que ri

as águas do rio

que se precipitam

fragorosas

no açude

o sol que incendeia

a lua que se desnuda

e julga que com o luar me ilude

 

Tudo martela o teu nome nos meus ouvidos

aviva a tua lembrança na minha Razão

e reasga o teu afecto no meu coração

 

Se a fome me desperta

se o cansaço me toma

se me assalta o desejo

é em ti que penso

 

Como poderei eu esquecer-te

se tudo em meu redor

é dentro de mim grita por ti?

 

Acaso posso abafar o vento

silenciar as aves

calar as crianças

apagar as estrelas

secar as flores

matar a saudade que me consome por dentro?

 

Só a tua presença

me fará esquecer de ti

 

Vem!

Regressa

se pretendes que eu te esqueça.

 

^^^^^^

sábado, 20 de outubro de 2012

Lenda de Santa Comba e São Leonardo

images_thumb

Neste mesmo local

em que ora me assento

donde diviso todo o vale

perpassado pelo vento

da recordação

 

Vivo com emoção

o trágico momento

tempo da História

já fora da memória

com o coração a bater

a querer saltar do peito

sem jeito de se conter

 

Sinto a terra a arfar

a pulsar com a dor

do pastor Leonardo

morto ainda criança

trespassado pela lança

do mouro javardo

que acaba de o esventrar

 

Ouço os soluços

de sua irmã Comba

beldade cristã

de bruços a chorar

naquela funesta manhã

os cavalos a relinchar

com os cascos a bater

na fraga que se abriu

para Comba esconder

 

E que ainda hoje guarda

a ferradura gravada

a quente

no dizer do crente

que a viu

 

Imagino agora eu

a casta Comba

a voar

qual pomba

a subir ao Céu

 

E virar santa

venerada

moira encantada

que encanta

o povo que a canta

 

^^^^^^

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Uma flor de dor

imagesCAEJJP55

A essa rosa ultriz e malvada

Que infeliz agora se finou

Embora fosse flor e perfumada

Foi o seu sorriso que a matou

 

Rosa rara, falsa, aculeada

Que a si própria se enganou

A todos dizia que os amava

Mas nunca a ninguém ela amou

 

Ruim, era sim, só erva daninha

Que até picos nas pétalas tinha.

Seria bela, mas era má flor!

 

Uma rosa danosa, flor de dor.

Não sabia o que era amor.

Que murchou abandonada. Sozinha!

 

^^^^^^

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Pedro, pedreiro de poemas

imagesCADRCI47

Arranca o poeta uma ideia

cheia

tamanha

da montanha da inspiração

 

Uma pedra

de angústia

dor

amor

ou saudade

 

Um penedo

de coragem

medo

ou desilusão

 

Olha-a na perspectiva da verdade

burila-a com os olhos e os ouvidos

afina-lhe a imagem

com os cinco sentidos

 

Martela-a com o coração

afeiçoa-lhe o metro e a rima

adoça-lhe a entoação

e doura-a de fantasia

 

Assim o poeta compõe

uma peça de poesia

que expõe

ao olhar

da multidão

 

Na ideia de que será digna de figurar

numa antologia

paradigma de criação

 

^^^^^^

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Levanto-me e caminho…

imagesCA7J9ICG

Sozinho

levanto-me e caminho

levado pelo vento

da verdade

que sopra de todo o lado

a todo o tempo

 

Paixão que me assola

saudade que me consola

milagre que já tarde

tarda

 

Absorto na lembrança do futuro

no desejo imaturo

de ser feliz

 

Abjuro o poder

anelo a glória

agarro-me à raiz

recuso ir-me embora

 

Vou andar por aí

mundo fora

ficar por aqui

ao lado dos meus

 

Caminhando por mim a dentro

para onde mais forte sopra o vento

na procura de Deus

 

O Cosmos é o meu Templo

 

^^^^^^

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Lavrando poemas com tractor agrícola

imagesCAK7IFV4

Ocorrem-me ideias loucas

e não poucas

sentado num tractor agrícola

que pachorrento se arrasta

escarificando a terra em sulcos rectilíneos

 

Fazem-me companhia os cães

divertindo-se em correrias loucas

atrás das lavandeiras que graciosas

catam os vermes no húmus fresco

 

Os meus braços e pernas transformam-se

em alavancas e manivelas da máquina

 

Acabo por sair dali

deixo de ouvir o seu som rouco

e monocórdico

do tractor

que parece gemer

de viva dor

 

À mesma hora um casal jovem

comete adultério num motel da Pensilvânia

e o senhor Obama encerra mais um comício

enquanto o ministro Gaspar diz mal à vida

 

Mas a vida é assim

 

Há quem dispute o domínio do mundo

e quem cometa adultério

quem desespere com o estado da Nação

quem esgaravate a terra à procura de pão

 

Cada vez mais a Civilização é despautério

 

Eu divirto-me remexendo o húmus do olival

que as oliveiras convertem em azeite doirado

indiferente ao vento gélido que sopra da serra da Padrela

por certo já polvilhada da primeira neve

indiciando o Inverno que se aproxima

uivante

 

Não estou seguro de que as ideias que fabrico

introvertido

em cima de tractor agrícola que lavra o olival

se concertarão em poema digno de ser lido

 

Mas vou ter prazer adicional de escrevê-lo

mesmo que fique inacabado

por falta de algum verso esquecido

no chão do olival

 

^^^^^^

domingo, 14 de outubro de 2012

Poema da morena

imagesCAJ66NSC

Não tenham pena

da morena

por não saber ler

que a morena

sabe escrever

e dizer

melhor

que ninguém

 

Escreve poesia

como nunca li

que deleita

e sabe bem

 

De noite

ou dia

quando anda

quando fala

quando dança

quando canta

se deita no leito

no perfume que exala

ou simplesmente sorri

 

Cada trejeito

seu

é um verso

um universo

de bem escrever

que faz o jeito

meu

 

E seu corpo é um poema

de poesia de encantar

que só mesmo a morena

sabe como declamar

 

^^^^^^

sábado, 13 de outubro de 2012

Rosas remanescentes

imagesCA6CPC27
A quinze de Outubro
dia do teu aniversário
caminharemos de mãos dadas
gozando os derradeiros raios de sol do dia
que inunda o espaço de poesia
neste mês de Brumário
 
Raras rosas das roseiras raras
de que trataste com enlevo na Primavera
e que continuam a “rosir”
ainda iluminam de cor os canteiros
como se fossem sorrisos permanentes
 
A lembrar-nos que a vida
será um amor eterno
se assim quisermos
mesmo que saibamos
que caminhamos
para o Inverno
e já não somos adolescentes
 
Também já as romãs sorriem
de contentamento
desafiando os ouriços nos castanheiros
mas só os pinheiros e as oliveiras
continuam folheadas
porque o seu verde é perene
 
Todas as demais árvores
já se despedem das folhas amarelecidas
sem lamento
entristecidas de tristeza estreme
porque em breve serão despidas
pelo vento
 
Como os diospireiros surreais
já completamente desnudados
feericamente emoldurados de vistosos dióspiros
encarnados
carnais
condenados a apodrecer
dilacerados pelos pardais
como se fossem inconsequentes suspiros
dependurados ao tempo
teimando em não morrer
 
Mas eu quero que este efémero momento
de amor aberto
e suave alegria
fique melhor registado
que numa máquina fotográfica
ou numa câmara de cinema
 
Prefiro usar o dom da poesia
e gravá-lo em poema
que para lá da imagem e do som
melhor regista afecto
e sentimento
 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O poder que tenho já me basta

imagesCASYEXOO

Tudo que em meu redor

tem cor

som

vida

luz

beleza

me glorifica

 

O Sol

a Lua

o vento

o mar

os rios

as montanhas

a Natureza

 

O poder que tenho

já me basta

não quero mais!

 

A glória que tenho já me chega

não quero mais!

 

Não quero mais poder

nem glória

escrever mais páginas de louvor

e de História

 

O poder que tenho

já me basta

para a tudo responder

louvar

com mais amor

 

Para poder amar

mais e mais

 

^^^^^^

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Futuro de ontem, passado de amanhã.

 

imagesCAWX6N6D

Vivo a pensar

no presente

no passado

no futuro

e vivo para lá retornar

 

Não sei se ao futuro

esquecido

se ao presente

sofrido

se ao passado

recordado

 

Vivo de sonhos

de lembranças

de esperanças

das sensações que a cada momento

o mundo me causa

sem pausa

de pensamento

ou sentimento

 

Não foi igual ao de anteontem

o meu futuro de ontem

 

Nem o meu futuro de hoje

será igual ao de amanhã

nem o de amanhã

será igual ao de depois de amanhã

 

Nem o meu futuro do futuro

será igual ao futuro

 

Só na minha mente malsã

o futuro de ontem

será o passado de amanhã

 

Futuro eu

que não sei que futuro

Deus me deu

^^^^^^

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Vôo e vou

untitled

Árvore enraizada no corpo

arraigado à terra

giro no universo

agarrado ao planeta mãe

 

De ramos a roçar as estrelas

agitados pelo sopro

do vento

do além

 

Mergulhado na dor

na angústia

no amor

no verso

no desgosto

que embriagam como vinho mosto

 

É por aí

por aqui

por mim a dentro

que eu vôo

e vou

 

A florir

no devir

 

^^^^^^^^

sábado, 6 de outubro de 2012

Na mais alta e fria serrania transmontana

r

Na mais alta e fria, serrania transmontana

Apascenta, indefesa, o seu dócil rebanho,

Uma linda e sedutora pastora serrana

Cuja pureza, porém, é puro, doce, engano.

 

Santa será, sim, para o bom povo, puritano!

Para mim, é pura pecadora, não me engana,

Não fora eu o seu amado poeta insano

Que ela recebe, por amor, na sua cabana.

 

Que açoda toda a montanha à procura dela,

De língua de fora como o mais fero lobo,

Mas que não quer o rebanho e só a quer a ela.

 

É só pelos seus beijos doces que eu me afobo,

E a ela, com os meus, açobo, qual cadela,

Tanto que a toda a serra, a paixão, pega fogo.

 

^^^^^^

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Deixei de querer agarrar a Lua

untitled

Deixei de querer

agarrar a Lua

porque me dizem

que tal

é uma estupidez

 

Mas acreditem que não desisti

de vez

 

Como também não deixarei de fitar

o Sol

só porque me disseram

que posso cegar

 

Fugirei, porém

de me apaixonar

só por querer amar

mais e mais

 

^^^^^^