Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 29 de julho de 2012

Ando no mundo por ver os outros andar

 
A minha vida
e o meu mundo
é o mundo e a vida dos outros
 
Vivo do que os outros sentem
ou dizem que sentem
veem
ouvem
e fazem
 
Vivo do que os outros sonham
ou dizem sonhar
acreditar
duvidar
mesmo se a mim nada me contam
 
Vivo do que os outros me fazem sentir
amar
e sofrer
 
Vivo nos outros
por interpostas pessoas
sejam más ou boas
 
Muito do que relato
e escrevo
sem maldade
é o que os outros me dizem
mesmo se comigo não condizem
 
Muitas vezes digo o que não devo
mas nunca a ninguém delato
 
E tantas são a minhas dúvidas e fraquezas
o meu medo de sofrer
o meu desejo de amar
tão raras a minhas certezas
que em boa verdade
ando no mundo sem vaidade
por ver os outros andar
 
Vale de Salgueiro, domingo, 29 de Julho de 2012
Henrique Pedro

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Porque Deus só pode ser ...

imagesCAYMC9ND
Porque Deus
só pode ser absoluto
e uno
para o ser
 
Teve que criar não um
mas múliplos universos
não uma mas miríades estrelas
e planetas
 
Não só o homem
mas infinitas criaturas
para O exultar
e amar
 
Não uma só forma
mas múltiplas formas
de o homem O louvar
e a si mesmo o homem se remir
 
Múltiplos caminhos
para o homem a si
Nele
se reencontrar
 
E porque Deus
só pode ser absoluto
e uno
 
Para o ser
teve que criar o homem
para no homem se limitar
e repartir
 
Vale de Salgueiro, quinta-feira, 26 de Julho de 2012
Henrique Pedro

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Estado d`alma estranho ao sentir

untitled
Há um certo estado de alma estranho ao sentir
espécie de efervescência anímica
que ainda não sei definir
 
Estado ainda não catalogado no léxico corrente
que não foi tratado na revisão ortográfica vigente
nem consta de nenhum tratado de psicologia clínica
 
Não se trata de angústia
nem de ansiedade
não é dúvida
nem falta de vontade
dor interior ou exterior
 
Não é aborrecimento nem saudade
contentamento ou felicidade
náusea ou fastio
alegria ou desilusão
medo da morte ou vontade de morrer
premonição ou alvedrio
 
É um espécie de apatia activa
uma alegoria de iluminação
 
Um desejo de fugir
daqui
d`além
e de mim
sem saber bem
para onde ir
 
Vale de Salgueiro, sexta-feira, 13 de Fevereiro de 200920120718
Henrique Pedro

terça-feira, 17 de julho de 2012

Não!

imagesCA5FX2KZ

Ela
de novo…
 
O mágico toque do feminino encanto
a preciosidade de um sorriso preciso
a irresistével simpatia ...

muita
tanta alegria ...

os lábios carmim
os seios cheios
torneados
os olhos doces
gaiatos
amendoados….
 
e eu
ainda
assim
afogueado
 
Refugio-me em mim
num tudo-nada de chuva e de vento
numa gota de amargura
num pozinho de angústia
numa raiva larvar
numa tristeza de calar
num silêncio de cismar
na vontade de voar para outro lugar para fugir do crepúsculo de outro amor que teima em não chegar ao fim…
 
E ela
de novo…
 
A tentadora tentação de voltar a amar…
 
Não
desta vez não!
não me vou deixar apaixonar
 
Vale de Salgueiro, domingo, 6 de Julho de 200820120717
Henrique Pedro

terça-feira, 10 de julho de 2012

O teu rosto é um livro

imagesCA9CNDLH

O teu rosto é um livro
aberto
ilustrado
por ti escrito e editado


Em que todos menos tu
podemos ler
se andas alegre
triste
doente
ou mesmo apaixonado
e até como estás mudado

O teu rosto é o livro da tua face
o teu “facebook”
que tem o teu “look”
e que escreves com sorrisos
esgares
olhares

O livro em que publicas
mesmo sem querer
ou poder ler
muitas das tuas intimidades

O livro em te mostras por inteiro
não apenas num perfil ligeiro


 
Vale de Salgueiro, terça-feira, 10 de Julho de 2012
Henrique Pedro