Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Não!

imagesCA5FX2KZ

Ela
de novo…
 
O mágico toque do feminino encanto
a preciosidade de um sorriso preciso
a irresistével simpatia ...

muita
tanta alegria ...

os lábios carmim
os seios cheios
torneados
os olhos doces
gaiatos
amendoados….
 
e eu
ainda
assim
afogueado
 
Refugio-me em mim
num tudo-nada de chuva e de vento
numa gota de amargura
num pozinho de angústia
numa raiva larvar
numa tristeza de calar
num silêncio de cismar
na vontade de voar para outro lugar para fugir do crepúsculo de outro amor que teima em não chegar ao fim…
 
E ela
de novo…
 
A tentadora tentação de voltar a amar…
 
Não
desta vez não!
não me vou deixar apaixonar
 
Vale de Salgueiro, domingo, 6 de Julho de 200820120717
Henrique Pedro

2 comentários:

  1. Estimado Amigo e Ilustre Poeta Henrique Pedro,
    Lindo e româtico poema, eu me deixei levar por belos olhos amendoados, e vou vivendo entre dois amores, qual deles o mais belo.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Lindo,como seria se fosse "Sim"...
    Um poema de uma poetisa de que gosto, para partilhar

    Eu quero amar, amar perdidamente!
    Amar só por amar: Aqui... além...
    Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
    Amar! Amar! E não amar ninguém!

    Recordar? Esquecer? Indiferente!...
    Prender ou desprender? É mal? É bem?
    Quem disser que se pode amar alguém
    Durante a vida inteira é porque mente!

    Há uma Primavera em cada vida:
    É preciso cantá-la assim florida,
    Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

    E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
    Que seja a minha noite uma alvorada,
    Que me saiba perder... pra me encontrar...

    Florbela Espanca

    Um Abraço

    ResponderEliminar