Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Hoje, vou limitar-me a amar

untitled

 O vento parece de feição
 o Verão vai quente
 e o mar está chão

 Vou surfar o dia inteiro com a minha amada
 deixar o corpo ao sabor das ondas
 abandoná-lo ao sol
 na areia
 sem outra ideia

 Hoje vou limitar-me a amar
 sem me limitar

 Vou deixar o sonho
 enrolar-se na nudez
 da fantasia

 Sem me importar com a nortada
 a maresia
 a timidez
 da minha amada
 a poesia

 Depois se verá
 ao certo
 se liberto
 despertei
 ou se me limitei
 a me limitar

 a amar
 
Vale de Salgueiro, sábado, 5 de Julho de 200820120803
Henrique Pedro

1 comentário: