Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 29 de julho de 2012

Ando no mundo por ver os outros andar

 
A minha vida
e o meu mundo
é o mundo e a vida dos outros
 
Vivo do que os outros sentem
ou dizem que sentem
veem
ouvem
e fazem
 
Vivo do que os outros sonham
ou dizem sonhar
acreditar
duvidar
mesmo se a mim nada me contam
 
Vivo do que os outros me fazem sentir
amar
e sofrer
 
Vivo nos outros
por interpostas pessoas
sejam más ou boas
 
Muito do que relato
e escrevo
sem maldade
é o que os outros me dizem
mesmo se comigo não condizem
 
Muitas vezes digo o que não devo
mas nunca a ninguém delato
 
E tantas são a minhas dúvidas e fraquezas
o meu medo de sofrer
o meu desejo de amar
tão raras a minhas certezas
que em boa verdade
ando no mundo sem vaidade
por ver os outros andar
 
Vale de Salgueiro, domingo, 29 de Julho de 2012
Henrique Pedro