Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

É a minha alma, que à tua, eu quero dar




Quando te abraço

em terno

etéreo

eterno amplexo

é a tua alma

que eu quero estreitar



É a minha alma

em reflexo

que em definitivo

te quero entregar

quando me abraças

em amoroso abraçar



É a tua alma

que eu quero ver

e é a minha alma

que eu quero que tu vejas

quando nos olhamos

com os olhos de amar

quando te desejo

e tu me desejas

ardentemente



É a tua e a minha alma

que se querem congraçar

para sempre

qual pétalas de flor

em perfeito congresso

de sexo

e de amor




Vale de Salgueiro, quinta-feira, 12 de Novembro de 200920120814
Henrique Pedro