Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

A Deus só agradeço as cerejas




Vai ficar descoroçoado comigo
Deus
certamente
mesmo zangado
talvez
mas hoje só Lhe agradeço as cerejas

E já O imagino a interrogar-Se
e a questionar-me:
«Sou tão generoso contigo
e tu só me agradeces as cerejas?!
Será que é só cerejas que desejas?»

Mas eu, que já a tenho a resposta estudada
(senão para que escreveria esta poesia?)
respondo de pronto, sem ponta de aleivosia:
«Mais generoso sou eu, Senhor, que não Te pedi nada
e ainda assim Te agradeço as cerejas»

E Deus
como Ser infinitamente inteligente e bom que é
(se assim não fosse não me entenderia, certamente)
vai perceber que eu
para lá do amor
apenas agradeço aquilo de que gosto
na esperança de que Ele apenas me dê
coisas do meu agrado
já se vê
embora a minha fé
sem favor
vá muito para além das cerejas e das palavras

Assim sendo
sou eu que a todos os poetas peço, entusiasmado
que louvem ao Senhor, em seus poemas, com alegria
a dádiva de todos gostarmos de palavras e de poesia
e a particularidade de as palavras
e os poemas
serem como as cerejas

4 comentários:

  1. Muito sério e real...muito bom e linda página;bjus!

    ResponderEliminar
  2. Linda a sua página, poeta! E belo o poema. Parabéns! Abraços fraternos do Tanussi Cardoso

    ResponderEliminar
  3. E AS CEREJAS VÃO SER SEMPRE UM FRUTO DE AGRADO E DE AGRADECIMENTO!!!

    BOM FIM DE SEMANA COM CEREJAS!!!

    LÍDIA

    ResponderEliminar