Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

AQUI…




Aqui, cume do monte dominante
De um reticulado curvilíneo
De colinas moldadas no fascínio
Da alma do poeta diletante

Aqui, nasceu, em mim, a poesia
Pela magia do amanhecer
Com reflexos de fé e bonomia
Que também brilham ao entardecer

Aqui, sempre me quedo, radiante
À hora que o Sol se põe, sanguíneo
Por detrás do horizonte distante

Aqui, face ao Mundo a sofrer
Ao Senhor dos Aflitos eu pedia
Não deixasse, Ele, de lhe valer…


Vale de Salgueiro, domingo, 10 de Agosto de 2008
Capelinha do Senhor dos Aflitos (Alto da Serrinha)

7 comentários:

  1. Muito lindo tudo por aqui.Poeta minha mãe era de Mirandela....Foi uma satisfação visitár seu blog , grande trabalho.( Regina Ferreirinha)

    ResponderEliminar
  2. E eu passando neste poemário para prestigiar estes teus sempre belos poemas. Um abraço!

    ResponderEliminar
  3. Parabéns.
    E, como um dia disse aos meus antigos colegas, num comentário em que lhes dei a conhecer "O RESGATE DOS JUSTOS DA TERRA", nem todos podem nascer na Terra Quente transmontana. Como diz no evangelho: "Poucos são os escohidos". E eu fui um desses escolhidos. Por isso participo e compreendo e absorvo toda essa poesia que Trás-os-Montes exala!

    Emídio Januário

    ResponderEliminar
  4. Estimado Amigo e Ilustre Poeta Henrique Pedro,
    Maravilhoso poema adorei, Nossa Senhora dos Aflitos e a Musa sempre dão um jeito a poetas famosos, e esse maravilhoso local no topo da montanha se proporciona.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  5. Parabéns meu amigo, amei seu cantinho, é show.
    Linda poesias que em nossas almas encanta.
    Abraços.
    ___________Sofia Lins.

    ResponderEliminar
  6. Lindo, é pena que a imagem dessa Aldeia linda, não seja mais divulgada além da sua beleza, a riqueza do azeite, do vinho, das pessoas que a formam, e viva Vale de Salgueiro e os seus habitantes

    ResponderEliminar