Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 23 de julho de 2013

A poesia não é nada nem ninguém



A poesia é um sopro
o borbulhar na superfície da consciência
de mil humores desconhecidos que nos fervem na alma
e no corpo

E os poemas
são borbulhas de sonhos
de afectos
de desejos
que rebentam em palavras
e expelem harmonias e cores
muitas vezes descompassadas
descoloridas
e que nem ideias são

Bolhas que poderão salpicar outros espíritos
e correr mundo
ou simplesmente implodir em angústia

Porque nem toda a poesia almeja ser poema
ainda que seja latente tal sonho

A poesia é como uma mãe
que se amamenta a si própria
e derrama mel
e leite
e fel

A poesia é uma mãe
e os poeta filhos pródigos

A poesia não é nada
nem ninguém

é uma coisa como outra qualquer

Sem comentários:

Enviar um comentário