Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Vá para onde vá




Vá para eu onde vá
seja lá onde for
sempre carrego comigo
uma mala de amor
e de sonhos

Sempre foi assim
e sempre assim será

Sonhos
sementes de poesia
que germinam em poemas
em cânticos de louvor
à vida
gritos de alegria
choros de dor
ao sabor da sorte
arpejos de dilemas

E assim será
na hora da morte
já que estou em crer
que continuarei a sonhar
a amar
a sentir poesia
mesmo depois de morrer

Vá para eu onde vá
seja lá onde for
sempre carrego comigo
uma mala de amor
e de sonhos

E é dentro dessa mala
que eu me faço transportar