Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

domingo, 26 de maio de 2013

Como se amar não levasse a lado nenhum



Deixo-me ficar mudo
e quedo
parado
especado
ensimesmado
a ver a chuva cair
sem tão pouco a sentir

O meu pensamento anda por longe
tão por dentro
de mim
que nem a mais forte rajada de vento
me faz acordar
e regressar
à realidade
comum

Como se eu fosse um monge
um místico apaixonado
resguardado da tempestade
do tempo
não do trovão
do seu coração


Como se amar não levasse a lado nenhum