Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Porque cintilam as estrelas?



Quando

a minha deslumbrada
lembrança de criança
se inicia…

Ainda a minha família ceava
à sombra da luz da candeia
e tudo que se comia
era meu pai que o colhia

Pão, vinho, mel, azeite e leite
tudo era dádiva de Deus
pelas mãos de meu pai
aceite

Também na penumbra mística
da igreja lá da aldeia
uma lampadazinha ardia
quer de noite quer de dia

E seria essa luzinha
bruxuleante
pequenina
a lançar a primeira grande interrogação
na minha rutilante
Razão

Porque ardia
e tremeluzia ela
como se fosse uma estrela
à luz do dia?

Foi minha mãe que me explicou
e com tanto amor o fez
que ainda hoje aceito a explicação
certo de que assim é
com verdadeiro fervor
acendrada chama de fé

Disse-me ela
numa encantada noite de Verão
estreitando-me contra o seu coração
que as luzinhas que brilham no céu
são a luz de estrelas
que há muito tempo se apagaram
mas que só agora chega até nós
trazida pelo vento divino

Assim como um grande amor
que já se foi mas continua a brilhar
noite e dia
sem nunca se apagar

Assim é esse o nosso destino!

 (Amor já eu sabia o que era
porque muito a amava a ela)

Por isso também em minha casa ardia
noite e dia
com deleite
como na igreja da freguesia
uma luzinha de azeite

Por todos que amávamos
mortos ou vivos
porque acreditávamos
que a luz do nosso amor
como a da lamparina
e a da estrela mais pequenina
continuaria a piscar
Cosmos fora
mesmo depois de se apagar

E que será guiados por essa luz
que um dia
nos voltaremos a encontrar
agora já sem que o nosso amor

se possa mais apagar