Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

domingo, 3 de novembro de 2013

Bem me quer, mal me quer



Tentas-me. Finges-te adormecida
Em leito florido de malmequeres
Bela, desnuda e oferecida
Tal a loucura com que tu me queres

Deixas a minha alma entontecida
Com a arte das sensuais mulheres
Que amansa a fera mais temida
E faz dos homens santos, vis berberes

Mas por tanto também eu te querer
Decido, porém, não te acordar
Não vá, com o espanto, te perder

De pronto dizes sem pestanejar:
«Bem me quer quem só assim me não quer!

Toda a ti, amor, me quero dar!»