Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Húmus de angústia



Hoje
vou caminhar
adrede
campos fora
noite a dentro
atolar-me na lama dos caminhos

Vou esquecer que existo
votar-me ao abandono
diluir-me na Natureza
não responder a ninguém
fintar o sono
tratar as ideias com desdém

Vou deixar que a minha angústia
se misture com a água da chuva
em húmus de poesia
que as raízes das plantas a absorvam
e a convertam em seiva

Para desabrochar em flores de alegria
já na próxima Primavera
e florir em fruto lá mais para o Outono

Hoje
vou caminhar
adrede
campos fora
noite a dentro
até entrar em transe
e explodir em êxtase

quando o Sol raiar