Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Há roseiras a “rosir” em Janeiro



Os meus passos perdem-se no espaço
e no nevoeiro
espesso
neste dia frio
e nevoento
de Janeiro

É de cansaço
o meu bafo

Ocioso
ando em círculo à roda de mim
esquecido do tempo
com o ciclo do coração em curto-circuito
e o pensamento sem ideias
gratuito
em círculo vicioso
paredes meias
com a angústia

De que lado irá nascer o Sol?
Não sei
nem sei se vai

Só sei que por todo o lado há nevoeiro
e que eu ando
obnubilado

Embora haja roseiras a “rosir”

em Janeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário