Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

O vento da saudade





Vivo
voando
no tempo
e no seio da saudade

O vento do amor
suaviza a dor
e assim o afastamento
não dói tanto
tão pouco há lugar para pranto
apenas espaço para sonhar

Ainda que a verdade
seja nua e crua
como a Lua
que nos encanta
só de a ver
mas que de tão distante
nos quebranta

A mim
só me resta sofrer

e recordar

Sem comentários:

Enviar um comentário