Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Porque nos sentimos estranhos quando amamos?



Noto
no teu olhar
um ar
de espanto
porque te olho
embevecido

Como a perguntar
em silêncio
porque te miro
assim tão enternecido

Também eu me interrogo
desde logo
sobre a razão de ser
deste meu quebranto

Será que também tu
assim me miras
e te admiras
do que sentes por mim?

Sim

O amor é assim
um lampejo de verdade
uma fugaz eternidade
em que nos sentimos encantados
fascinados

Um deslumbramento
um confuso pensamento
em que a nossa alma fica presa
muda
fascinada
sem que lhe ocorra dizer nada
apenas ficar calada
pasmada
de mão dada

Um olhar
de amar
sem nada ver
ou ouvir
apenas a sentir
o bater do coração

Esta a razão pela qual
nos sentimos estranhos

quando amamos

1 comentário:

  1. "O amor é assim
    um lampejo de verdade
    uma fugaz eternidade
    em que nos sentimos encantados
    fascinados"

    Certamente que sim,eis cá um poema que remete-nos a uma reflexão a respeito dos nossos próprios sentimentos.

    Gratos pela partilha,um abraço.

    Ps: Ficaremos felizes em receber tua visita e opinião em nosso blog.

    ResponderEliminar