Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Paixão





Paixão, pulsão pulsante, atração
Arte da sedução e do cortejo
É chispa radiante do desejo
Uma brasa viva no coração

Que se transforma em negro carvão
Quando com o seu triste arpejo
Porque o amor não logrou ensejo
Se apaga, com dor, sem compaixão

Sem o amor que a alma abrasa
Deixa o coração de ser fornalha
De pronto a paixão perde a asa

Estiola e arde como palha
Depois que foi carvão e rubra brasa

Vira cinza que o vento espalha

1 comentário:

  1. Um poema carregado de cores vivas.
    A paixão será sem dúvida um motor que nos leva a desejar e a amar alguém com a força que nos ultrapassa. Depois se correspondido ele se arrasta e se balança dentro de nós.
    Quando não correspondido sente-se regeitado e ferido e logo se faz de tempo perdido.

    ResponderEliminar