Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Se o poeta amasse sinceramente






Se o poeta amasse
sinceramente
não faria do amor
poesia

Limitava-se a amar
tão somente
amar não é fantasia

Se o poeta sofresse
verdadeiramente
não faria da dor
poesia

Limitava-se a sofrer
como toda a gente
sofrer não é filosofia

O poeta não sofre suas dores
nem ama seus amores
ama e sofre as dores e os amores dos demais

O poeta só é sincero quando escreve versos de combate
poemas intemporais
por toda a parte
sejam de amor
de dor

ou de alegria

3 comentários:

  1. Estimado Amigo e Ilustre Poeta Henrique Pedro,
    Belo, lindo, profundo e super verdadeiro, adorei, o poeta é tudo isso.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Creio que seja um subterfúgio do poeta para poder seguir adiante diante do que realmente não se pode mensurar.

    Veja bem isto


    «(...) entendia o suficiente sobre o amor para saber que há coisas que não se explicam. Aliás, no amor, a maior parte das coisas não se explica, porque o amor é feito de uma matéria que está acima de todas as outras e que acumula a paixão, a atracção, o desejo, a amizade, o riso, o entendimento, a cumplicidade, a entrega e o respeito. O amor não se pode parcelar, ou é tudo ou não é nada. E se aqueles que nos amam não forem loucos por nós, então é porque esse amor não vale a pena», Margarida Rebelo Pinto

    Pois assim é o poeta e a poesia - assim como o AMAR e ser AMADO...

    Um grande abraço e lindo dia!!!

    www.euflordealfazema.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Distinta amiga Malu

      Começo por agradecer a sua visita e a generosidade das suas palavras. Apenas duas simples observações sobre este meu poema:
      - Sentir não é só sentir-mo-nos a nós mas igualmente sentir os outros em nós;
      - Muitas vezes, como no caso vertente, gosto de emprestar um suave toque de ironia aos meu poemas, para atenuar a carga irracional que possam ter.
      É o caso.
      Abraço fraterno.

      Eliminar