Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sábado, 5 de julho de 2014

Sento-me de novo na pedra de sempre



Rodou o tempo
outro é o vento
nada
ou quase nada
mudou

Dei volta à vida
mundo fora

Volto agora
a sentar-me na mesma pedra
emoldurada de hedra
postada no recinto
da velha ermida
voltada para Poente
erguida numa colina sagrada
da minha amada
Terra Quente

Que bem aqui me sinto!

O mesmo Firmamento
as mesmas luarentas noites de Verão
que me marcaram a mente
e iluminaram o coração

As mesmas estrelas
as mesmas constelações
os movimentos de sempre

As mesmas emoções
a mesma silenciosa solidão
os mesmos sonhos
a mesma Fé
a mesma oração
a mesma ânsia de verdade

De diferente
apenas e só…
mais
e  mais
da mesma…

Saudade

1 comentário: