Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Com poesia a mim mesmo me engano


 
 
Confidencia-me o seu segredo mais íntimo
que silencio nos ouvidos
e sepulto no coração

Ouso ir mais além
porém

Codificar o segredo em poema
e lançá-lo ao vento
também

Ficará bem melhor guardado
ainda assim
por todo o tempo

Porque a poesia é a arte de enganar
com a verdade
de esconder tristeza com alegria
de disfarçar com amizade
a paixão

Por isso as palavras me saem da mente
agora
em torrente
sem chama
nem drama
nem razão

Concertadas em poema depenado
cujas pétalas perfumam o chão
agridoce
dessa doce intimidade
com que ela me desengana
sem me causar maior dano

Na verdade
sou eu
que com poesia
a mim mesmo me engano

 
Chaves, 13 de Agosto de 1966

5 comentários:

  1. De qualquer forma, o Poeta transforma-se num criador de mundos, de sonhos, de ilusões, de verdades. A Poesia é uma mentira que esconde a verdade.
    Gosto muito da sua escrita: sempre saio renovada.
    Tenha um bom final de semana,
    Manuela

    ResponderEliminar
  2. o poema é vestido de doçura, e é como uma melodia a caminho do vento...
    um abraço, desejo bom domingo e boa semana ao amigo.

    ResponderEliminar
  3. Henrique,
    Revejo-me no teu poema. Assim vamos criando um mundo idílico e só nosso, onde só impera a beleza que extraímos das coisas e das pessoas.
    Beijo
    Nanda

    ResponderEliminar
  4. Henrique,nem todos sabem guardar um segrêdo, mas esta poesia dá sentido e transformá-lo em poema,torna este sentimento maravilhoso!...
    São lindos os teus poemas e a maneira como os descreves. Continua!!!
    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Como sempre os suas poemas são especiais e bem constituídos. Abaço

    ResponderEliminar