Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

domingo, 6 de abril de 2014

Que outro atributo poderá ter, o Além?



Recosto-me no tronco de uma tília florida
que a aragem do fim da tarde abana
e me embala

Adormeço
e sonho
como se acordado

Enlevado em bátegas de amor
como se o meu berço fora um barco
uma pluma
uma flor
que as ondas do cosmos fazem vogar
livremente
em liberdade
perdido
na bruma
do destino

Como se eu fora um pétala perfumada
que se desprendeu da árvore mãe
e demorará um eternidade
oscilando no ar
até pousar
no absoluto

Que outro atributo
poderá ter

o Além?