Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

sábado, 26 de abril de 2014

Retrato de uma mulher qualquer

  



Veste vestido encarnado
com decote descaído
manga arregaçada

Preparada para a vida
relógio no antebraço
trança atirada para a frente
muitas coisas me diz de si
a mim
e muito mais
a muita a gente

Mesmo se seus lábios carnudos
sensuais
permanecem mudos

Quase tudo
ou quase nada
fica exposto
neste seu público retrato
de meio corpo

Adivinho que não é uma mulher qualquer

Que perscruta poemas
e amores
infindos
com seus olhos lindos
   que adoro vê-los

Sei que não me ouve nem me lê

Ainda assim
coloco flores
nos seus cabelos

já se vê