Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

A mim, Deus, apenas me deu …



A mim
Deus
apenas me deu pernas e braços
o corpo
e o sopro da vida
que passei a ser eu
a soprar

O espaço para viver
e sonhar
terei que ser eu
a porfiar

Resta-me o desejo angustiado
de ser grande
bom
e verdadeiro

Por isso me parto
e reparto
na ânsia de ser inteiro

A outros
Deus
deu mais

E a muitos nem tanto

Muitos talvez se sintam aptos
e capazes de dominar o mundo
a sorrir

Outros apenas encontrarão razão
para o destruir

Eu, não!

Tento apenas
fazer valer
o meu coração

É por isso
que tanto

me apoquento