Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Este meu canto é um pranto


 

Já me dói o peito
deste jeito de cantar

Este meu canto é um pranto
que canto
para me olvidar

Daquela vez que sorri
sem saber o que fazia
tão pouco que me perdia
porque de amor me prendia

Agora, sim, sei
que me perdi
muito embora ainda assim
continue a cantar
este meu canto
que é um pranto
de verdade

Não por gosto de penar
ou por gozo de sofrer
deste amor que é dor
tão só para esquecer
esta sofrida saudade