Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Canto e assobio baixinho


 

 
Quando caminho
pelo campo
sozinho
canto e assobio
baixinho
como quando menino

Como se sem querer quisesse
com a natureza melhor me identificar

Como se eu fora ave
no céu
a voar

Vento
aragem
miragem
sobre os campos
a pairar

Ideia
sonho
risonho
flor
a florir

Vontade de amar

Coração
a bater
sem mãos a medir

Poeta

Alma aberta

Razão
prestes
a explodir