Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 19 de abril de 2015

Por não ter tempo a perder


 

 
Por não ter tempo a perder
a pensar

Tempo para me demorar
a ir
e a vir
do coração ao mundo
da razão ao cosmos
de mim à eternidade

Tempo para me perder no dia-a-dia
em tecnologia
em cálculos
em tramas
em enredos judiciais

Nos livros de contabilidade
nas páginas dos jornais
e em tudo o mais

Os meus poemas são atalhos
curto circuitos
auto-estradas mentais
entre mim e a verdade
pendente

Por não ter tempo a perder
a pensar
escrevo poesia
para prontamente
lá chegar