Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sábado, 3 de outubro de 2015

Ar a voar pelos ares


 

 

O vento

É instrumento de sopro
a tocar

Pulmão
e talento de soprano
a cantar

Ave
de asas
a adejar

É pensamento
o vento
a soprar por nós a dentro

É vaidade
balão insuflado
até rebentar

É fole a soprar
sem ter
nada dentro

É sopro que atiça o fogo

É pé de povo revoltado

É odre podre
a peidar

É verdade
o vento
a varrer o lixo
prolixo
nas ruas do nosso viver

É nuvem
de lágrimas
à procura de regaço
onde se verter

É respirar
ofegante
de quem quer vencer

É ar a voar pelos ares

É ar
em movimento
o vento