Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 12 de junho de 2016

Sinfonia do fim do mundo




Vou aguardar
tranquilamente
o fim do mundo
sentado no topo da colina
que me abre vistas por todo o horizonte
no mesmo sítio em que tenho por hábito
assistir ao nascer do sol

O fim do mundo
deve começar por lá
pelo distante extremo Oriente
ao som de harpas
uivos de vento
e trovões

Se assim for
espero ter tempo
de me pôr a salvo
antes da hecatombe aqui chegar
e de tudo ficar reduzido a nada

E se por ventura não acontecer
já na próxima alvorada
voltar-me-ei, então, para poente
para louvar o Criador
que pôs o Sol a girar
com formosura
conferiu à Terra a sua diária rotação
e me pôs a mim a sonhar

Esperando que um dia
ponha termo
com brandura
a esta insana Civilização

Sem comentários:

Enviar um comentário