Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Saudade é amor e solidão




Quereria ficar ela
eternamente sentados
na fraga debruçada sobre o lago
em que costumávamos namorar
em silêncio
abraçados
ao luar

Nas encantadas noites de Verão
quando o nosso lema era
apenas:
«Amor e solidão»

Ficávamos de amor abraçados
sós
e em silêncio
abandonados
em toda a amplidão do Universo
que em verso
se abria em nosso coração

Agora que estamos afastados
de amor apartados
continuamos sós
em toda a dimensão do Cosmos
que se fechou em nosso coração

Mas eu continuo a querer ficar com ela
eternamente sentados
na fraga debruçada sobre o lago
em que costumávamos namorar
abraçados
em silêncio
ao luar

Por isso escrevi esta poesia sem alegria
que é um estátua viva de saudade
esculpida na própria fraga
debruçada sobre o lago
em que costumávamos namorar
abraçados
em silêncio
ao luar

Estátua que ali vai ficar erguida
a gritar
para a eternidade
esta dor
sem remissão:

“Saudade é amor e solidão”