Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Naquela noite o céu pegou fogo



Entrou em guerra o Cosmos
naquela noite

Desapareceu do Espaço
a Terra
e pegou fogo
o Céu

Era o epílogo sagrado do virtuoso amor
de um homem e duma mulher
que congraçados na sua Fé
acordaram a doce dor
de guardar estreme castidade
e santa virgindade

Até casarem à luz dos sacramentos
e assumirem a sua condição de homem e de mulher
fiéis aos mandamentos

Naquela noite, porém
o Cosmos entrou em guerra
desapareceu do Espaço a Terra
e o Céu pegou fogo
também

Que nenhum anjo ou demónio
ousou apagar
porque era Deus o incendiário
o Amor o fogo
e o Céu o matrimónio