Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Quando a minha alma em mim anda perdida




A casa vazia
o televisor aceso
sem som
silêncio constrangedor

Um cálice de vinho do Porto
semivazio
meio morto
que não bebo
nem encho
se esvazia
de filosofia
com poesia

Mergulho
mais e mais
na mais amarga solidão

Descubro
com emoção
que existo
quando a minha alma
anda perdida
em mim
e eu não sei que lugar ocupo
no Cosmos

Mas eis que o telefone toca!

É quem me ama que me chama!

Emerjo na piscina da alegria
qual campeão olímpico
ovacionado pela multidão
imagem de caleidoscópio

Agradeço os aplausos

Aplaudo-me a mim próprio