Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 30 de abril de 2017

Só nos resta esperar que pare de chover e continuar a sonhar




Os Serviços Meteorológicos prometem trovoada
já para depois de amanhã

Oh, quanta angústia escusada
quanta lágrima antecipada
quanta sorte malsã!

Os colunistas de Astrologia
ainda vêem mais além

Vaticinam semana de sorte para Touro
prometem ouro a Sagitário
mostram a carta da morte a Aquário
mas não garantem nada a ninguém

As estradas causam ainda mais mortes
o Governo decreta mais cortes
e mais austeridade

Bruxos e adivinhos
políticos e maus vizinhos
anunciam guerra nuclear

Oh, quanta falta de verdade
quanto sono perdido
quanto sonho iludido
quanta aposta para nada
quanta ambição esparramada!

É azar a mais bater à porta
desta pátria semimorta
que a ninguém deixa viver

Só nos resta continuar a sonhar
e esperar
que pare de chover



quinta-feira, 27 de abril de 2017

A Fé que sinto é um instinto


É uma sede que não sacio
por mais água que beba

Uma fome que não mato com pão

Um desejo de amar que me não passa
por maior amor
ou bem
que eu faça

Esta Fé que eu sinto
é um instinto instante
uma angustiante insatisfação

É colapso da Razão
fracasso da inteligência

Esta fé que eu sinto
é o instinto de sobrevivência
do meu espírito



terça-feira, 25 de abril de 2017

Estados de alma estranhos ao normal sentir




Não são angústia nem ansiedade
dúvida ou falta de vontade
dor interior ou exterior

Não são aborrecimento nem saudade
contentamento ou felicidade
náusea ou fastio
alegria ou desilusão
medo da morte
vontade de morrer
alvedrio
premonição

São uma espécie de apatia activa
uma viva abolia
uma alegoria de iluminação

É um desejo de fugir
daqui
de mim
d`além
sem que saiba bem
para onde ir



sábado, 22 de abril de 2017

Espelho partido




Parte-se o espelho
murcha o desejo
seca-se o coração
quebra-se a ilusão

Vejo-a agora reflectida
no espelho partido
que seguro na mão
tremida

Corto os dedos
sangra-me o coração
dorido

A imagem que antevejo
refractada
tem a força da verdade
a fealdade da maldade
a fugacidade adicional
da figura do mal

Dá para ver
no espelho partido
que raramente é amor
a paixão



domingo, 9 de abril de 2017

E Deus disse…



E Deus disse:
- Dou-te a palavra, escreve o poema!

E a primeira palavra que Deus nos deu
foi a palavra “palavra”
inscrita no gesto
e no olhar
que apalavraram o primeiro verso
lavraram o primeiro poema
o primeiro convite a amar

Até que ao sétimo dia
Deus descansou
e nos deixou sós
de mente desperta
aprendendo a falar
a ler e a escrever como deve ser

Para que seja o poeta
com poesia e alegria
a despertar o espírito
que dorme em cada um de nós


terça-feira, 4 de abril de 2017

Pássaros que fazem os ninhos nas nuvens



Os poetas
são uma espécie de pássaros

De anjos que fazem os ninhos nas nuvens
e por lá se demoram a voar
ao sabor
do amor
e do pensamento

Apenas descem à terra para se angustiar
para apanhar mais penas
e melhor se sustentar
no ar

Assim será por todo o tempo
enquanto houver fantasia
nuvens no firmamento
e o vento da poesia
não parar de soprar