Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se. Feliz Ano Novo.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Um poema e um prato de feijão




Gosto de feijoada à transmontana
ou à brasileira
embora aceite que não é comida ligeira
sobretudo ao jantar

Também gosto de declamar um bom poema
um soneto
uma odisseia
uma simples quadra que seja
que comporte alegria e uma ideia imaculada

Embora haja poesia que mete dó
e seres humanos que fazem doer o coração
porque morrem à míngua, tão só
por não terem um prato de feijão para comer
e nem um simples poema saibam ler

Não estou certo, porém
nem de longe nem de perto
que basta poesia e um prato de feijão
para se alcançar a salvação

Mas estou em crer com verdade
que um poema e uma feijoada
confecionados com arte
ou um simples naco de pão
resolveriam em grande parte
os problemas da Humanidade