Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

domingo, 16 de julho de 2017

Mais me espanto comigo que com o mundo



Tudo que é dúvida reside em mim
e não no mundo

No mundo que caminha
vive
nasce
mata e morre
sem se deter
indiferente ao meu querer

No mundo que parece não ter dúvidas
caminhar sem hesitar
e nele tudo bater certo
desde o nascimento à morte

Mas comigo não é tanto assim

Eu sou um espanto
para mim

Mais me espanto com a minha angústia
e cada vez mais me surpreende não saber
porquê ou para que nasci
nem o que faço aqui
ou o que faria se estivesse em qualquer outro lugar

Mais me espanto comigo que com o mundo
e o meu espanto seria igual
estivesse eu em qualquer outro lugar
e fizesse fosse lá o que fosse

Mais parece que vivo um sonho
um pesadelo
um quebranto

De que tento
afanosamente
acordar