Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

terça-feira, 27 de março de 2018

Estas pedras fazem eco, são sinais



Esta pedras
deslavadas pelo rio
puídas pelo vento
erguidas em ideia
areia
e cimento

Estas pedras levitam no tempo

Apenas mudam as paredes
as pontes
as fontes
em que se concertam
os poemas que despertam
e espevitam o sentimento

Estas pedras
alçadas em pirâmides e muralhas
campos de batalhas
vias, becos e calçadas
bordejadas de mecos
e de etéreos marcos miliários
são a memória da História

Estas pedras são muros
mudos
que nada dizem do futuro
próximo ou distante
embora falem do passado
estuante
não relatado nos anais

Estas pedras fazem eco

São sinais


1 comentário: