Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

UM LIVRO ABERTO NO DESERTO XIX – Banha-se nua, ao luar, no lago dos meus olhos






Banha-se nua
Em segredo e em fantasia
No lago dos meus olhos ao luar
O fascínio do seu albedo 
Me faz sonhar à luz do dia

E sentir medo de acordar
Neste mar de escolhos
O calor me seca os olhos
Não tenho lágrimas para chorar

Como a Lua que se banha nua
No céu
E chora lágrimas a cintilar
Que são estrelas
Assim é ela
Assim sou eu

De noite é sonho
De dia fantasia
E eu
Não sei que sou

Serei terra?
Serei céu?
Não sei que sou de verdade
Sou dor
Espuma de amor
Pura saudade

Por agora sou só sensação
Pouco mais que instinto
Trago uma fagulha de amor no coração
Faminto
Uma brasa que me abrasa a razão


Daniel Monforte, Legião Estrangeira
Algures no Deserto do Sahara
 14 de Agosto de 1955


1 comentário: