Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Já a multidão ganha rosto

imagesCAHJUVVJ

Tempo terrível
de fome e miséria
nos espera
 
Já a multidão ganha rosto
pressuposto
de revolução
 
Rosto de fome
de raiva
e de ira
pronome de escravidão
 
Rosto do povo
massacrado pela hidra
da corrupção
e da mentira
 
E a terra estarrecida
tremerá
de novo
ao trepar da multidão
 
Vale de Salgueiro, sexta-feira, 29 de Junho de 2012
Henrique Pedro

1 comentário:

  1. Já a multidão ganha rosto é um excelente poema de intervenção.Neste dia em que algumas centenas de portugueses, de todas as sensibilidades, se juntam para encontrar alternativas, sasúdo Henrique Pedro, por este poema tão oportuno.
    Jorge Sales Golias

    ResponderEliminar