Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Lanço esta mensagem ao vento


 


Lanço esta mensagem ao vento
em forma de poético pensamento
apanhe-a a quem aprouver

Talvez uma ave a voar
leve no seu bico delicado
este poema chilreio
transformando o meu recado
em gorjeio de amor

Talvez uma criança sofrida
apanhe os meus versos do chão
como se fora uma flor
e logo apareça um anjo de amor
para a proteger e lhe dar guarida
para lhe estender sua mão

Talvez o próprio vento
agarre o dilema do poema
se transforme em furacão
varra continentes e oceanos
proclamando a Justiça e a Razão

Talvez um bando de aves de verdade
emplumadas com meus poemas
façam ninho nos jardins e beirais
dos boçais donos da Terra
e se acabe com a fome e a guerra

Lanço esta mensagem ao vento
em forma de poético pensamento
apanhe-a a quem aprouver

Sentir-me-ei mais feliz e inspirado
se o mensageiro for bem tratado
 
E me trouxer de volta como me apraz
um abraço entusiasmado
um sorriso alegre de criança
um reflexo de amor e esperança
um projecto universal de Paz

1 comentário: