Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Vivo ameaçado de morte




A vida não passa
de permanente ameaça
de morte

Tenho medo!

Sinto-me perseguido
angustiado

Esperava melhor sorte

Sou forçado a viver
condenado a morrer

Procuro
por isso
um lugar seguro
no Universo
longe ou perto
onde me possa esconder
e refugiar

Para lá me libertar
poder livremente viver
e amar
sem sofrer

E sem ter que pagar
o preço de perecer

6 comentários:

  1. Caro amigo Henrique Pedro, quem não anda nos dias que correm angustiado? Quando vemos o que se passa, que nos obrigam a pagar impostos para cobrir os roubos feitos por capitalistas sem escrúpulos.
    Eu sei quem não anda angustiado, não os conheço pessoalmente mas todos sabemos quem são. Excelente poema que nos deve deixar a reflectir.
    Cumprimento-o também pela decisão tomada quanto ao (des)acordo autográfico. Há muita gnte que se esquece que o Português é a língua mãe, logo, se alguém quer continuar a falar português, que siga a mãe e não o contrário.

    Abraço amigo
    A. da fonseca

    ResponderEliminar
  2. ESTAMOS CONDENADOS A MORTE... DESDE O MOMENTO EM QUE NASCEMOS! O QUE NÃO PODEMOS É SER CONDENADOS A MORRERMOS IGNORANTES!

    ResponderEliminar
  3. Para morrer, basta estar vivo! Mas com poesia fica muito melhor!!! Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. LInmdndo poema amiop quem não tem medo neste mundo conturbado e cheio de violencia bjs

    ResponderEliminar
  5. Estimado Amigo e Ilustre Poeta Henrique Pedro,
    Um belo poema e bem profundo sobre o qual devemos reflectir.
    A vida é apenas uma passagem por este mundo maltratado, quem tem fé certamente um dia encontrará um local onde o ódio e as guerras nãio existem, somente paz e amor.
    Acredito na reencarnação.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  6. Amigo Henrique Pedro, estamos vivenciando novos paradigmas que muitas vezes refletimos com todo cuidado a palavra "evolução" assim me pego a pensar nessa vida efêmera no qual se encontra sua essência humana.
    Abraços.
    = Sofia =

    ResponderEliminar