Seja bem vindo/a. A mesa da poesia está posta. Sirva-se.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Assim a inspiração bate à porta




Geia lá fora
há estrelas no céu
a luzir
ao luar

Àquela hora morta
durmo a bom dormir

A Natureza que me rodeia
enrolada em silêncio
e neblina
é uma menina
que seria malvadez
acordar

Mas eis que a inspiração
bate à porta
a preceito
sem timidez

Pancadas fortes
rimadas
é um poema que quer entrar
que se obstina
em não se deixar esquecer
não tenho outro jeito
senão
me levantar

Ossos do ofício de poeta
que teima em dormir
de alma desperta

Pois seja

Ei-lo!

Amanhã
de manhã
mal o sol raiar
cuidarei de o publicar

5 comentários:

  1. É...poeta é assim mesmo!
    Quando o poema bate à porta
    Ou se deixa entrar
    ou é coisa morta!

    Ossos do ofício!

    Muito bom! Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. "Dormir de alma desperta" é a frase mais bela e interessante que já li sobre o tema poetar. Que beleza de versos, Henrique Pedro! Parabéns pela inspiração tão criativa de tua composição.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Belíssimo! Devemos escrever sim... Para continuar a viver... Sempre!

    ResponderEliminar
  5. OLÁ HENRIQUE
    EU SÓ CÁ CHEGUEI Á NOITE MAS A HORAS DE ADMIRAR O SEU TRABALHO POÉTICO NA CALADA DA NOITE!!!

    LÍDIA

    ResponderEliminar